Rumo a uma Estrutura Teológica Integral para o Cuidado e o Bem-Estar da Equipe

Por Rosie Button

Existem fundamentos bíblicos e teológicos para o cuidado e bem-estar da equipe (também conhecido como cuidado dos membros). No entanto, com muita frequência, a literatura sobre o cuidado dos membros se baseia apenas em alguns temas ou passagens bíblicas chave. É necessária uma abordagem teológica mais abrangente, ou sistemática, que forneça uma estrutura para essa prática de se basear em passagens específicas e exemplos de cuidados na Bíblia. Além disso, uma abordagem bíblica integral, que considera toda a escritura falando em cuidado com a equipe, em vez de apenas passagens ou versículos específicos, forneceria um contexto e apoio bíblico adicional.

Abordagens Bíblicas Existentes
A maioria dos escritos existentes sobre cuidado com membros com bases bíblicas tende a se enquadrar em quatro categorias:
Eles analisam passagens ou temas que oferecem princípios gerais para o cuidado. Por exemplo, Janet Dallman, uma estudante de mestrado de Redcliffe, escreveu um artigo sobre a imagem recorrente do pastor ao longo da Bíblia, como base para um modelo de cuidado dos membrosi. Essa imagem é claramente a base do termo cuidado pastoral e da palavra pastor. O documento dela fala tanto do papel como das características exigidas de um cuidador.

• Explora passagens ou temas que falam de aspectos particulares do cuidado dos membros. O livreto de Le Rucher, A Estrada de Emaús, um Modelo Bíblico para Debriefingii, faz isso. Usa o incidente da Estrada de Emaús no capítulo 24 de Lucas como modelo para o debriefing.
• Destaca os personagens bíblicos como provedores de cuidados. Ronald Koteskey em seu livro online, Cuidado dos Membros Missionáriosiii, discute as pessoas que dedicaram cuidados a Paulo, incluindo Estéfanas, Fortunato e Acaico. Esses homens, dos quais Paulo fala que “trouxeram refrigério ao meu espírito” (1 Coríntios 16:17-18), atuaram como membros da equipe de cuidado de Paulo.
• Compartilha exemplos de personagens bíblicos como receptores de cuidados. A passagem sobre o profeta Elias recebendo cuidados das mãos de Deus após o confronto com os profetas de Baal (1 Reis 19) é frequentemente usada como um padrão no debriefing de um trabalhador esgotado. Um exemplo disso está no capítulo de Debbie Lovell-Hawker sobre o debriefing em Fazendo Bem o Cuidado dos Membrosiv.

Todas essas abordagens dependem de encontrar histórias e passagens na Bíblia para apoiar o cuidado dos membros, em vez de vê-las dentro de uma estrutura bíblica completa.

O Cuidado dos Membros, a Hermenêutica Missionária e a missio Dei
Essa perspectiva tem-se refletido em estudos de missão. No entanto, nos últimos quinze anos, mais ou menos, isso mudou. Estudos de missão começaram a passar de uma visão dos fundamentos bíblicos para a missão, para a busca do fundamento missionário da Bíblia. Em outras palavras, em vez de ver a Bíblia como a base da missão, nós olhamos para a missão como a base da Bíblia. Isso é conhecido como hermenêutica missionária.
Embora ele não tenha sido o único a pensar nessa linhav, essa foi a ideia básica do livro de Chris Wright de 2006, A Missão de Deusvi. Em vez de procurar passagens bíblicas que falam de missão, Wright e outros falaram sobre ver a Bíblia inteira através da lente da missão e ver a Bíblia inteira como um produto da missão de Deus para o mundo (missio Dei). Além disso, eles consideraram toda a história da Bíblia como uma história dessa missão, e de salvação, sendo a própria Bíblia uma ferramenta ou um meio de missão que também nos capacita para fazer parte dessa missão.
Poderíamos fazer uma mudança semelhante na maneira como pensamos sobre o cuidado dos membros? Poderíamos olhar a Bíblia inteira através da lente do cuidado dos membros? Mesmo que não, o cuidado dos membros parece encaixar-se naturalmente na hermenêutica missionária. Por exemplo, quando a Bíblia fala dos cuidados dos obreiros cristãos, parece ser uma parte crucial para nos capacitar para a missão.

Rumo a um Fundamento Teológico
A Bíblia transborda de exemplos e ensinamentos sobre Deus sendo um Deus amoroso que cuida de seu povo. O Grande Mandamento (Mateus 22:37-39) é que devemos amar a Deus com todo o nosso coração e amar ao próximo como a nós mesmos. O cuidado dos membros é claramente uma manifestação desse amor que devemos mostrar uns aos outros.
Na literatura sobre cuidado dos membros, há um punhado de fontes que procuram oferecer ideias basilares para uma teologia de cuidado. Uma dessas ideias é que o cuidado dos membros está no âmago da Grande Comissão e do Grande Mandamento. Essa é a opinião de David Pollock, no capítulo 2 de Fazendo Bem o Cuidado aos Membrosvii.
Afirmando que a Grande Comissão e o Grande Mandamento estão no coração do Novo Testamento, ele postula que só podemos cumprir um cumprindo o outro: espalhamos o evangelho e ganhamos discípulos demonstrando o amor de Deus. Pollock aponta para a igreja primitiva fazendo exatamente isso e afirma que, praticando o cuidado dos membros, estamos fazendo isso também. Não se trata apenas de reduzir o atrito, mas de nos amarmos uns aos outros e assim demonstrar e promover o evangelho. Isso situa o cuidado dos membros claramente dentro da missio Dei como sendo uma das formas pelas quais a missão de Deus é cumprida.
O livreto de Le Rucher, Cuidado Bíblico dos Membros, de Erik Spruyt e Renee Schüdelviii, dá um quadro mais amplo. Eles começam citando 2 Timóteo 3:16-17:

“Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça, a fim de que o homem de Deus [membro] seja perfeito e perfeitamente habilitado para toda boa obra”. O que é o cuidado do membro se não capacitar as pessoas para “toda boa obra”.

Então os autores perguntam: “Quem são as pessoas de quem estamos cuidando, e por quê?” e “Que tipo de cuidado ao membro é especificamente necessário para cumprir quem somos em Deus e o que estamos determinados a fazer em nome de Cristo?”. Aqui eles situam o cuidado dos membros em seu lugar na missão de Deus, mas dessa vez como capacitação para que as pessoas cumpram seu papel nessa missão. Os autores Spruyt e Schüdel continuam afirmando que os provedores de cuidados aos membros devem ter um sólido entendimento bíblico do grande quadro da missão.
Também afirmamos isso no All Nations Christian College, no Reino Unido. De fato, os estudantes de nosso programa de Mestrado em Cuidado e Bem-Estar da Equipe são obrigados a fazer módulos essenciais de missiologia, bem como módulos de cuidado dos membros. Isso capacita os graduados do programa com um treinamento missiológico completo, que serve como base para seus outros cursos.
A abordagem de Spruyt e Schüdel afirma que o objetivo do cuidado dos membros é formar missionários semelhantes a Cristo que, como Cristo, são portadores de imagem, sal e luz, e resilientes diante do sofrimento até o ponto de morrer. Chamam isso de cuidado cruciforme dos membros.
No documento “Biblical Foundations for Member Care” ix (Fundamentos Bíblicos para o Cuidado dos Membros), Annemie Grosshauser olha para o modelo que Jesus viveu enquanto cuidava de seus discípulos. Ela diz: “O objetivo primário não era torná-los eficazes, mas viver fora da comunhão com Ele, e desenvolver um caráter piedoso e uma força interior para enfrentar adversidades e perseguições”.
Tanto o livreto de Spruyt e Schüdel como o texto de Grosshauser retratam Jesus como o modelo de cuidado e o objetivo do cuidado (ou seja, a semelhança com Cristo é o objetivo). Além disso, ambos mostram que nossa relação com Jesus é a fonte do cuidado. Portanto, podemos dizer que Jesus está no centro dos cuidados dos membros como a fonte, o modelo e o objetivo. Ou, no interesse de sermos corretamente trinitários, talvez prefiramos colocar o Deus Trino no centro em vez de especificamente Jesus.
Podemos olhar mais para trás na Bíblia, para o Antigo Testamento, para ver Deus como o criador de todo o cuidado para com seu povo. Rhiannon Gibson, em seu artigo intitulado SIL Care and Wellbeing Missiological Reflection Questionsx (Cuidado e Bem-Estar – Questões de Reflexão Missiológica da SIL), explica que o Antigo Testamento, particularmente o Deuteronômio, demonstra o cuidado de Deus por seu povo e fornece o início de uma teologia de cuidado dos membros.
Lina Miller também viu um modelo para o cuidado de Deus no Antigo Testamento. Em sua dissertação de 2017xi, ela argumentou que através das festas judaicas, Deus criou um ritmo de cuidados que incluía tempos de comunidade, celebração, comemoração, confirmação e cessação (descanso). Combinados, esses conceitos formam uma base potencial para o cuidado dos membros.
Traçamos uma base para o cuidado da equipe ao longo da Bíblia: enraizada no cuidado de Deus por seu povo, como mostrado no Antigo Testamento, confirmado novamente no cuidado de Jesus por seus discípulos, e continuado na vida dos primeiros cristãos quando, cheios do Espírito Santo, eles viveram o que havia sido ensinado a eles. A fonte de todos esses cuidados é a Trindade.
Em seu livro Intensificando a Vitalidade Missionária Glenn Taylor explica que “uma teologia do cuidado reflete o relacionamento entre os membros da Trindade, o cuidado de Deus por nós, e a expectativa de que cuidemos uns dos outros”xii. Ele continua enfatizando que enquanto Deus, através de seu Espírito, é a fonte do cuidado, Deus normalmente trabalha através de nós cuidando uns dos outros – daí a importância do que chamamos de cuidado mútuo. Ele conclui dizendo que, como cuidadores, devemos primeiro receber conforto, construção, crescimento, correção e assim por diante, do Espírito Santo, a fim de fazer o mesmo por aqueles que estão ao nosso cuidado.

Uma Nova Estrutura
Agora que exploramos as diferentes abordagens teológicas e bíblicas para o cuidado dos membros, vamos ver como poderia ser uma estrutura para a teologia do cuidado. Subjacente à estrutura está o entendimento de que Jesus Cristo é a fonte, o objetivo (como sendo a semelhança com Cristo o objetivo), e o modelo de cuidado.
Cristo como fonte do cuidado indica que os membros cuidadores têm que estar recebendo de Cristo. Isso precisa acontecer em conjunto com a ajuda às pessoas que recebem cuidados de Cristo para capacitá-las e fortalecê-las na missão. Uma maneira de isso acontecer é incentivando e ensinando práticas de Formação Espiritual.
Cristo como o objetivo do cuidado dos membros significa que os membros cuidadores apoiam e capacitam os obreiros cristãos para que se tornem como Cristo. Eles os acompanham para ajudá-los a viver como ele viveu, a ponto de estarem dispostos a sacrificar tudo.
Cristo como modelo para a prestação de cuidados implica que devemos aprender como ele cuidou de seus discípulos, como visto nos evangelhos. Significa também observar como ele demonstrou seu autocuidado ao longo de seu ministério e aprender a seguir seu exemplo.
Com esse paradigma em mente, o diagrama a seguir permite visualizar nossa estrutura:
O diagrama da figura 1.1 mostra, em primeiro lugar, que tanto o missionário como o membro cuidador devem ser compreendidos em relação à missão de Deus e de um com o outro. Em segundo lugar, ele ilustra como Jesus está no centro dos três cantos como fonte, objetivo e modelo.
Como membros cuidadores olhando para esse diagrama, devemos responder às seguintes perguntas teológicas, dentre outras:

• Sobre a missio Dei: Eu tenho um entendimento da missio Dei?
• Sobre o cuidador dos membros: Como o cuidado com os membros/equipe se encaixa na missio Dei? Quem sou eu especificamente e qual é o meu papel em relação a ela (dons, capacidade, chamado)? E como eu vejo Jesus como fonte, objetivo e modelo da minha prestação de cuidados?
• Sobre o missionário/obreiro cristão sob meu cuidado: Quem são eles em relação à missio Dei? Quem eles são especificamente como indivíduos ou como unidade familiar (seu chamado, dons, origem)? Como posso ajudá-los a cumprir seu papel? Como posso ajudá-los a se relacionar com Jesus como fonte de cuidado?

Com a ajuda de um membro cuidador, um missionário ou obreiro cristão, olhando para o diagrama, poderia fazer essas perguntas (entre outras coisas):

• Sobre a missio Dei: Como eu me relaciono com a missio Dei?
• Sobre o cuidado dos membros: Como me relaciono com os cuidados dos membros, como me asseguro de receber os cuidados que preciso? Como estou recebendo cuidados de Jesus Cristo?
• Sobre os companheiros missionários ou obreiros cristãos: Como posso encorajar meus colegas na condição de companheiro deles e em seu lugar na missio Dei, em seu papel ou em seu chamado? Como posso lembrá-los de olhar para Jesus como sua fonte de cuidado?

Outra abordagem mais trinitária poderia ser a de colocar a Trindade no centro do triângulo, em vez de apenas Jesus. Isso poderia nos ajudar a pensar em como cada membro da Trindade se relaciona com a missio Dei, o missionário e o cuidador dos membros.
A camada final da estrutura olha para o obreiro/missionário cristão (ver figura 1.2). Os dois diagramas seguintes ilustram o contexto de um indivíduo com os vários fatores sugeridos, assim como seu lugar de pertencimento nas várias comunidades sugeridas, e muito mais.
É aqui que podemos passar da compreensão teológica mais ampla do cuidado dos membros para a aplicação dos muitos e diversos temas e passagens bíblicas específicas acima mencionados.

Figura 1.1 – Relação entre Missionário, Cuidado dos Membros e Missão de Deus

Figura 1.2 – Diagramas de contexto de um Indivíduo e de Comunidades

Conclusão

O cuidado dos membros necessita de uma reflexão teológica mais profunda e uma visão global da Bíblia a fim de reunir as múltiplas vertentes da escrita bíblica atual sobre o cuidado dos membros. É minha esperança que a estrutura que eu forneci aqui conduza a isso. Também desejo que os envolvidos no cuidado dos obreiros cristãos, incluindo tanto os obreiros da assistência aos membros como os líderes de missões, tenham uma compreensão teológica enriquecida de seu trabalho e sejam afirmados ao verem seu papel como parte integrante da missio Dei.

 

 

Rosie Button (r.button@allnations.ac.uk) é docente do All Nations Christian College, da equipe de cuidado e bem-estar (cuidado dos membros) no Reino Unido. Anteriormente, ela ajudou a organizar o Mestrado em cuidado de membros no Redcliffe College depois de trabalhar muitos anos como professora missionária no Zimbábue e depois em Uganda.

 

ABRIL 2022 Copyright © 2022 Missio Nexus. Evangelical Missions Quarterly. Traducido y republicado con permiso. All rights reserved.

Notas
1 Janet Dallman, “A Study of the Implications of Biblical Shepherd Imagery for Member Care in OMF
Japan” (Um Estudo das Implicações da Imagética Bíblica do Pastor e para o Cuidado dos Membros na
OMF Japão), documento do módulo de estudo independente, Redcliffe College, 2018.
2 Erik Spruyt, et al, The Emmaus Rd, a Biblical Model for Debriefing (A Estrada de Emaús, um Modelo
Bíblico para o Debriefing), Ministérios Le Rucher.
3 Ronald L. Koteskey, “Is Missionar y Member Care in the Bible?” (“O Cuidado do Membro
Missionário Está na Bíblia?”) em Missionary Member Care (Cuidado do Membro Missionário) (2013):
http://missionarycare.com/ebooks/Member_Care_Introduction_%20Book.pdf#page=12.
4 Debbie Lovell-Hawker, “Guidelines for Crisis and Routine Debriefing” (“Diretrizes para Crises e
Debriefing de Rotina”) em Doing Member Care Well (Fazendo Bem o Cuidado dos Membros), ed. Kelly
O'Donnell (Pasadena: William Carey, 2002).
5 Ver, por exemplo, Richard Bauckham: Bible and Mission: Christian Witness in a Postmodern World
(Bíblia e Missão – Testemunho Cristão em um Mundo Pós-Moderno) (Carlisle, UK: Paternoster Press,
2003), e mais recentemente, Michael Goheen, ed., Reading the Bible Missionally (Lendo a Bíblia de
Forma Missionária) (Grand Rapids, MI: Wm. B. Eerdmans Publishing Co., 2016)
6 Christopher J. H. Wright, The Mission of God: Unlocking the Bible’s Grand Narrative (A Missão de
Deus: Desbloqueando a Grande Narrativa da Bíblia) (Londres: IVP Academic, 2006).
7 David Pollock, “Developing a Flow of Care and Caregivers” (“Desenvolvendo um Fluxo de Cuidados e
Cuidadores”) em Doing Member Care Well (Fazendo Bem o Cuidado dos Membros), ed. Kelly O'Donnell
(Pasadena: William Carey, 2002).
8 Erik Spruyt e R. F. Schüdel, Biblical Member Care (Cuidado Bíblico dos Membros), (Le Rucher
Ministries, 2012).
9 Annemie Grosshauser, Biblical Foundation for Member Care (Fundamento Bíblico para o Cuidado
dos Membros), documento entregue na 7ª Consulta Europeia de Cuidado aos Membros, Pensicola,
Espanha, 23-27 de março de 2010.
10 R. Gibson, “SIL Care and Wellbeing Missiological Reflection Questions Paper”, (documento
“Cuidado e Bem-Estar – Questões de Reflexão Missiológica da SIL”), 2019.
11 L. Miller, “Looking at Member Care through the Lens of the Biblical Feasts” (“Olhando para o
Cuidado dos Membros através da Lente das Festas Bíblicas”) (dissertação de mestrado, Redcliffe
College, 2017)
12 G. Taylor, “A Theological Perspective on Member Care” (“Uma Perspectiva Teológica sobre Cuidado
dos Membros”), em Enhancing Missionary Vitality: Mental Health Professions Serving Global Mission
(Aumentando a Vitalidade Missionária: Profissões de Saúde Mental Servindo a Missão Global), ed. John
R. Powell e Joyce M. Bowers (Palmer Lake: Mission Training International, 1999).

 

Comments are closed.