Por que colocar missões na espera para ir ao seminário?

Por Zane Pratt

“Por que devo dedicar tempo para ir a um seminário quando as pessoas estão morrendo sem Cristo em todo o mundo?” O jovem que estava fazendo esta pergunta era um possível estudante de seminário. O homem que perguntou era o Dr. J. Christy Wilson, havia crescido como uma criança missionária no Irã e depois passou a maior parte de sua vida adulta ministrando em um país remoto no interior de Ásia.

Sua resposta foi classicamente de Ásia Central: “Um machado afilado corta a árvore mais rapidamente”. Sua resposta foi em forma de provérbio, mas o significado era claro. Uma boa preparação significa que será eficaz mais rapidamente, e vale a pena dedicar tempo para obter essa preparação.

Deus está preocupado com a preparação, não com a pressa

Ao longo da Bíblia, Deus demonstra uma maior preocupação com a preparação que com a pressa. Moisés passou quarenta anos como príncipe no Egito e depois outros quarenta anos cuidando de ovelhas no deserto antes de Deus o usar para tirar os israelitas da escravidão. Davi foi treinado como pastor, como soldado subordinado a Saul, e depois como fugitivo de seu antigo mestre antes de converter-se em rei de Israel.

O apóstolo Paulo passou anos em Tarso depois de sua conversão na Arábia e, na sequência, foi mestre em Antioquia antes de começar sua carreira como missionário. Nosso Senhor Jesus esperou até os trinta anos antes de começar seu ministério público. Claramente, não há pecado na espera, sempre que a espera estiver alinhada com os propósitos de Deus. A preparação apropriada é um desses propósitos.

A igreja local é a estufa missionária

Grande parte da preparação necessária para o serviço missionário ocorre na igreja. Um missionário é um discípulo de Jesus que vai aonde ainda não conhecem Jesus para fazer seus discípulos. O próprio missionário deve ser um discípulo em crescimento para ser eficaz em fazer outros como discípulos, e este discipulado formativo ocorre biblicamente no contexto de uma igreja local.

O discipulado básico no ambiente de uma igreja é a base da preparação missionária. Isto implica mais que só a cabeça, pois inclui o coração e as mãos também. Uma parte essencial da preparação missionária implica uma maturidade crescente em Cristo, já que o discípulo faz morrer as obras da carne e se assemelha ao carácter de Cristo.

Coisas como arrogância, imoralidade, divisão, desonestidade, preguiça ou qualquer outra coisa que seja inconsistente com a imagem de Deus, devem ser deixadas. Coisas como compaixão, bondade, humildade, gentileza, paciência, perdão e amor devem ser aplicadas. Este tipo de transformação ocorre melhor na comunhão do corpo de Cristo. Um discipulado saudável no contexto de uma igreja sadia é vital para uma boa preparação missionária.

O objetivo do seminário é acelerar a preparação necessária

Contudo, também há um componente de conhecimento para a preparação missionária. A tarefa missionária está definida pela Bíblia, e a Bíblia é a ferramenta principal, no poder do Espírito Santo, que usa o missionário. Isto significa que um missionário necessita conhecer a Bíblia muito bem.

Em muitos sentidos, o serviço transcultural requer una habilidade ainda maior no manejo da Palavra de Deus que o ministério em sua própria cultura. Os trabalhadores em novos contextos culturais enfrentam problemas que nunca antes tiveram que enfrentar, e devem explicar e aplicar a Palavra de Deus através das divisões culturais.

Também devem aprender a distinguir entre o que é bíblico em sua compreensão da fé e o que é simplesmente uma expressão de seu próprio entorno cultural. Aqui é onde o seminário pode ser uma ferramenta tão valiosa na preparação missionária.

Áreas específicas de conhecimento que todos os missionários devem possuir

Estudos bíblicos

Os missionários precisam conhecer o conteúdo da Bíblia no contexto do fluxo da narração bíblica, pelo que os estudos bíblicos e a teologia bíblica são essenciais. Os idiomas bíblicos são especialmente úteis no trabalho de tradução da Bíblia, assim como na exposição das Escrituras em qualquer contexto.

Teologia sistemática e histórica

Os missionários precisam conhecer os grandes temas doutrinários da Bíblia, pelo que a teologia sistemática é vital. Precisam saber como o povo de Deus lutou com a doutrina e a prática em todo o mundo e através das idades, pelo que a teologia histórica e a história da igreja são extremamente úteis.

Evangelismo e missões

Os missionários vão compartilhar o evangelho em um contexto intercultural, pelo que se beneficiarão enormemente estudando evangelismo e missões. Os missionários têm uma responsabilidade especial ao estabelecer e construir a igreja onde não havia antes. Como o apóstolo Paulo nos recorda, devemos ter muito cuidado em como construímos a igreja de Deus (1 Coríntios 3:10-17). O estudo do seminário proporciona aos missionários a profundidade da compreensão e as ferramentas bíblicas para construir bem.

Mas Pedro, Tiago e João não foram ao seminário. Por que deveriam?

Algumas advertências estão em ordem. Obviamente, os seminários, tal como os conhecemos hoje, não existiam nos dias da igreja primitiva. Há outras maneiras de obter o tipo de conhecimento e habilidades mencionados aqui. Deus pode usar e usa pessoas com uma ampla gama de educação e treinamento na difusão do evangelho e o estabelecimento de sua igreja. Além disso, nem todos os seminários têm o mesmo compromisso com a verdade e a autoridade da Palavra de Deus.

No entanto, a tarefa missionária é algo sério e solene. Requer una preparação cuidadosa e completa. O estudo diligente em um seminário biblicamente sólido proporciona conhecimentos e habilidades que são difíceis de duplicar em outro ambiente. Vale a pena dedicar tempo para obter este tipo de treinamento. Lembre-se, um machado bem afiado corta a árvore mais rapidamente. Tome um tempo para afiar seu machado.

Zane Pratt atua como vice-presidente de capacitação da Junta de Missões Internacionais.

Fonte: International Mission Board.

 

 

The following two tabs change content below.

Martha Claros

Diretora da Área de Comunicação - COMIBAM Internacional

Comments are closed.