“Perseguidos, mas não abandonados”, lema do Dia Internacional de Oração pela Igreja Perseguida 2019

cristianos-chinos

 

A jornada terá lugar no dia 10 de novembro. Um em cada nove cristãos enfrenta perseguição, isolamento e violência em todo o mundo.

A perseguição a cristãos no mundo aumentou nos últimos anos, com intensos incidentes de violência perpetrados contra comunidades e igrejas na Nigéria, Índia, Sri Lanka e Burkina Faso, dentre muitos outros países. Em alguns deles, os locais de culto são fechados, os cristãos se veem obrigados a fugir de suas casas, estão socialmente isolados, discriminados e inclusive são assassinados por sua fé.

“O Dia Internacional de Oração pela Igreja Perseguida (DIDO) une milhões de cristãos em todo o mundo para orar por aqueles que valentemente testificam Cristo a qualquer custo”, explica a Aliança Evangélica Mundial (WEA, por sua sigla em inglês). A entidade destaca que foi criado com o objetivo de servir “como uma fonte para conscientizar os cristãos que sofrem opressão, mobilizar a oração da Igreja mundial e fornecer apoio e confiança aos cristãos oprimidos”.

“Muitos para serem contados, muitos desconhecidos”

Neste ano, o DIDO é comemorado em 10 de novembro e tem o lema “Perseguidos, mas não abandonados”, inspirado em 2 Coríntios 4:9. O diretor executivo da Comissão de Liberdade Religiosa da WEA, Godfrey Yogarajah, convidou cristãos e igrejas locais a “orar para que, apesar da pressão e da perseguição, nossos irmãos e irmãs que sofrem, onde quer que estejam no mundo, mantenham-se firmes em sua fé, apoiados nas promessas de Deus e vivendo vitoriosamente em Cristo.” “Ore para que sigam a Cristo incansavelmente, lembrando que são ‘perseguidos, mas não abandonados; abatidos, mas não destruídos”, destacou ele, citando o versículo.

Junto com a campanha, foi lançado um vídeo que destaca episódios recentes de perseguição a cristãos, incluídos os ataques terroristas que mataram 259 pessoas no Sri Lanka, a violência na Nigéria e as repressões contra as igrejas na Argélia. “Muitos para serem contados, muitos desconhecidos. Tudo porque levam o nome de Jesus”, se afirma no vídeo.

Um em cada nove cristãos no mundo enfrenta a possibilidade de sofrer e/ou já sofre “espancamentos, tortura, confinamento, isolamento, estupro, perseguição severa, prisão, escravidão, morte e discriminação na educação e no emprego”, aponta Portas Abertas. Durante o DIDO deste ano, Portas Abertas pede especialmente aos cristãos que orem “pela Índia, que ocupa o décimo lugar na Lista Mundial de Perseguição da organização, sobre os países mais perigosos para os cristãos”. O site da DIDO fornece recursos “elaborados para ajudar a orar eficazmente pelos cristãos perseguidos”, porque “para orar por esses irmãos e irmãs que sofrem, é preciso primeiro ouvir suas histórias”. “Tem que ouvir o grito deles”, advertem.

Fonte: Protestante Digital

The following two tabs change content below.

Martha Claros

Diretora da Área de Comunicação da COMIBAM

Comments are closed.