O Reino avança através das diásporas

diaspora

Por Aaron Jameson

Wesley veio da Malásia para estudar em uma universidade em Des Moines, Iowa. Teve um caminho privilegiado. Obteve o cobiçado visto H-1B, que é concedido apenas a profissionais altamente qualificados. Uma empresa garantiu a ele um trabalho e pagou mais de 6.000 dólares para patrociná-lo.

O pastor Salai chegou de Myanmar (ao qual ainda se refere como Birmânia) como refugiado em 2009, após estudar na Índia e se mudar para o Oriente Médio, via Malásia. O caminho de Salai para a cidadania é menos complicado porque é um refugiado. Mas ainda enfrenta preconceitos étnicos entre diferentes grupos de birmaneses em sua cidade e de grupos de pessoas mais estabelecidas, brancos e não brancos.

Mas Wesley e o Pastor Salai não são simplesmente imigrantes; são cristãos envolvidos na igreja local e parte do reino de Deus. Embora não se tenham mudado de seus países de origem com a intenção de ser missionários, de certa forma, eles são.

Ao longo da história, Deus fez crescer seu reino através das diásporas: povos espalhados fora de seus países de origem. Às vezes Ele ordena que saiam. Por exemplo, Deus chamou Abrão para que saísse de Harã e se dirigisse a Canaã (Gênesis 12:1-3; 15:7). Outras vezes, Deus dispersa as pessoas para julgá-las. Exemplos disso são Babel (Gênesis 11) e o exílio judeu (ver Deuteronômio 28:64). Deus, inclusive, usa a perseguição e o sofrimento praticados por outros para difundir o evangelho, como nos primeiros dias da Igreja em Jerusalém (Atos 8:4; 11:19).

O que aprendemos das Escrituras é que, quando as pessoas se vão e onde quer que parem, Deus é o responsável (Atos 17:26). As pessoas podem sair por causa de preferências, laços familiares, seca, crime, injustiça ou guerras e distúrbios. Mas, mesmo assim, Deus em sua sabedoria providencialmente faz com que todos esses eventos ocorram. José viu o mundo através desta lente. Convidou sua família para o Egito por causa da fome em Canaã (Gênesis 45-46), mas reconheceu que Deus o havia enviado para lá para salvar suas vidas (Gênesis 45:6-7). Deus também levou Wesley e Salai para Des Moines. Confiando que Ele cumprirá Seus propósitos (Isaías 46:10), podemos observar, servir e colaborar com os povos dispersos para fazer avançar o reino de Deus.

Participe com imigrantes e refugiados

Você provavelmente vive perto de uma família de refugiados, de um estudante estrangeiro ou de um profissional imigrante. O simples fato de notá-los, parar para falar ou fazer perguntas, os desarma e os dignifica. Podemos ajudá-los a aliviar o estresse de se instalar em uma nova e estranha cultura. Podemos aprender seus nomes e nos abrir a eles. Podemos tratar os imigrantes e refugiados não apenas como uma estatística. Há mais de 258 milhões deles em todo o mundo, mas cada um é feito à imagem de Deus. São pessoas com suas próprias histórias e com seus próprios dons para compartilhar. Alguns podem até ser nossos irmãos ou irmãs em Cristo.

Você já notou pessoas como o Pastor Salai e Wesley no lugar onde mora? São nossos vizinhos, que vivem fielmente para Jesus Cristo, proclamando com ousadia o Evangelho. Milhões de pessoas se encontram com Cristo porque imigrantes e refugiados dispersos pelo mundo inteiro lhes falam dele. Quando nos damos conta de que Deus está trabalhando através das diásporas, estamos mais abertos a sair de nossos núcleos etnocêntricos. Estamos mais abertos a colaborar com os povos da diáspora e a defender o ministério multiétnico. Estamos mais abertos a aprender sobre eles e fazer parcerias com eles.

Regozije-se, Sirva, Colabore

Dar-se conta dos imigrantes e refugiados levará inevitavelmente à ação. Jesus encorajou seus discípulos a se preocuparam com os demais, inclusive seus inimigos (Mateus 5:44-46). O bom samaritano primeiro se compadeceu do estranho ferido antes de fazer algo para ajudar (Lucas 10:33). Nosso objetivo não é fazer com que a igreja atue com culpa, compilando uma lista de fracassos passados. Ao contrário, nosso objetivo é encorajar a igreja a adotar humildemente uma postura aberta em relação aos imigrantes e refugiados, conhecendo-os e vendo quantos já estão servindo ao Senhor em nossas comunidades. Esta postura é a que mais bem conduz as ações que podemos tomar.

Primeiro, regozijemo-nos de que Deus está trabalhando para fazer avançar seu reino através dos povos deslocados. Compreender um pouco mais sua situação também nos levará à empatia e até mesmo ao lamento. Isto nos dará então a oportunidade de buscar formas de servi-los: fazer amizade com eles, ensinar a eles nossa língua ou, até mesmo, protegê-los. Mas nossos irmãos e irmãs na diáspora também têm muito a nos oferecer. São indispensáveis ao corpo de Cristo. Devemos colaborar com eles e suas igrejas para fazer avançar o reino.

Quando o fizermos, devemos começar com relacionamentos. Os ocidentais são pragmáticos e muitas vezes se apressam a empreender projetos sem perceber a necessidade de gerar confiança por meio de relacionamentos. Portanto, temos que ir mais devagar. Uma abordagem é compartilhar refeições com as famílias da diáspora, convidá-las a entrar em nossa casa e oferecer hospitalidade. Busque formas de saber sobre eles e de ganhar sua confiança.

Uma forma específica de trabalhar com líderes das igrejas da diáspora é por meio do programa de capacitação para a diáspora da TLI. Seu objetivo é “promover um movimento saudável de pastores da diáspora para capacitá-los a estudar e proclamar as Escrituras, desenvolvendo a próxima geração de líderes da igreja, enquanto trabalhamos juntos pelo bem do evangelho”. Pessoas, organizações e igrejas podem usar seus recursos para capacitar os líderes das igrejas da diáspora para que proclamem fielmente a verdade das Escrituras. E, no processo, eles têm a oportunidade de aprender com pastores e igrejas da diáspora. Todos temos pontos cegos, mas pela graça de Deus, estes podem ser eliminados mediante a colaboração e os relacionamentos centrados na palavra de Deus.

Que oportunidade e motivo de esperança! Deus está construindo Sua igreja multiétnica através das diásporas, conduzindo Seu governo e reinado (a nossos próprios bairros) através das orações de Seu povo disperso, que testemunha e proclama fielmente o evangelho. Deus está alimentando a adoração de cada tribo e língua enquanto reúne “os dispersos de Israel” (Isaías 56:8) e aumenta seu número chamando as ovelhas de perto e de longe, inclusive as que foram deslocadas (João 10:16).

Fonte: Training Leaders International

 

The following two tabs change content below.

Martha Claros

Diretora da Área de Comunicação da COMIBAM

Comments are closed.