O que eu preciso para ser um missionário transcultural?

candidato-misionero

Por Jeanine Martinez

Com frequência definimos preparação em termos de curriculum. Mas na Bíblia lemos que nenhum homem ou mulher foi a uma missão sem que Deus primeiro trabalhasse em seu caráter. Ao falar do perfil e da preparação do missionário, partimos da nossa identidade como filhos de Deus e discípulos de Cristo. Isto quer dizer que a Bíblia nos define pelo que somos e de nossa relação com Deus, mais do que com o que fazemos.

Ao mesmo tempo, o missionário está em constante treinamento e formação por parte de Deus. Para quem deseja iniciar-se como missionário transcultural, existem muitos aspectos imprescindíveis na preparação inicial que quero ressaltar aqui.

Você precisa mais que só preparo espiritual

Deus usa as circunstâncias e provas, que acontecem onde Ele nos coloca, para que cresçamos espiritualmente e nos preparemos para servi-lo. Desde Moisés até Cristo, vemos que nenhum servo de Deus foi chamado imediatamente ao ministério: todos tiveram preparação prévia. Dois destacados líderes do povo de Deus – Moisés e Davi – primeiro foram pastores de ovelhas. Seus ofícios terrenos os prepararam para a atribuição ministerial que Deus lhes daria mais à frente.

Você precisa servir em uma igreja local

Nos dias de hoje há muitos que caminham sozinhos e geralmente terminam mal. O missionário que respeita diretrizes bíblicas não é ‘‘autoenviado’’, mas ele serve em uma igreja local antes de sair ao campo. Se você permite que Deus trabalhe em sua vida, servir em uma congregação pode ajudar a amadurecer no tratamento com diferentes tipos de pessoas.

Lá fora trataremos com pecadores, mas os da igreja são pecadores também, regenerados em processo de santificação. Se você não apoia a tua igreja local e só vê defeitos nela, sobreviverá com gente que não entende você e nem você a elas? Como missionário, você servirá no meio de pessoas de outras culturas que representarão maior desafio que sua família, igreja e sociedade.

Você precisa pregar o evangelho

O propósito do missionário é fazer discípulos através da pregação do evangelho. Um crente que não prega o evangelho onde vive, fará menos ainda quando estiver em outro país onde predomina um idioma complexo que levará anos para aprender. Se você se justifica atrás de sua personalidade, você acredita que é só cruzar a fronteira e sua personalidade mudará?

Você precisa discipular como Cristo

O discipulado é um processo que exige a compreensão das implicações do evangelho: o caráter e os atributos de Deus, e o ser e as necessidades da humanidade. A frase que Cristo declarou na Grande Comissão, “Ensinando-os a observar tudo o que eu vos ordenei”, envolve o cumprimento dos dois principais mandamentos.

“E disse-lhe: Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento. Este é o maior e primeiro mandamento. E o segundo é semelhante a este: Amarás o teu próximo como a ti mesmo”, Mateus 22:37-39.

Você precisa de preparação teológica

Um missionário sem formação teológica é como um soldado indefeso ou um médico sem estudos de anatomia. Por exemplo, se seu filho foi diagnosticado com uma doença terminal, você vai querer a intervenção de alguém preparado para a tarefa. Da mesma forma, o missionário deve proclamar fielmente o Deus revelado nas Escrituras, explicar o plano de salvação, discipular biblicamente, modelar obediência e aconselhar biblicamente em um mundo perverso (Fp 2:15).

A preparação teológica está disponível em aulas bíblicas em uma igreja local, institutos, seminários ou em uma agência missionária. Para o missionário, essa preparação é indispensável, pois como vamos apresentar Deus, o evangelho e a fé que não conhecemos nem compreendemos? Além disso, lembre-se de que ser um missionário transcultural exige pregar principalmente em contextos onde existam religiões com uma teologia robusta diferente da bíblica e que a defenderão com zelo (1 Pe 3:15).

Você precisa de habilidades de comunicação

Para ser missionário você não precisa ser extrovertido, mas precisa saber como comunicar o evangelho, embora não necessariamente para multidões. No campo missionário, muitos servem órfãos, constroem casas, levam comida ou atendem a necessidades específicas. Isso é bom e necessário. Mas, de uma perspectiva bíblica, a missão exige a pregação do evangelho.

Esta é a principal diferença entre um trabalhador humanitário e um missionário: a prioridade do missionário é fazer discípulos; tudo o mais centra-se no evangelho. Nossa missão é o evangelismo acompanhado de trabalho humanitário, e não o contrário.

Você precisa de treinamento intercultural

Compreender, interpretar e navegar em outras culturas – ou pelo menos a cultura à qual você vai – é básico para ser eficaz. A maioria dos missionários deixa o campo missionário por causa do choque cultural e também por causa de conflitos com outros missionários (que também são de outras culturas, na maioria dos casos).

Você precisa aprender inglês

Embora o inglês não seja obrigatório para a maioria das agências missionárias, é muito útil. Falar esta língua permitirá que você se comunique nos países onde você chega (pelo menos no início) e com os missionários da equipe, que geralmente é intercultural, com o inglês como idioma comum.

Lembre-se de que o Novo Testamento foi escrito em grego, a língua do império, e seus escritores podiam se mover e se comunicar facilmente porque conheciam a língua.

Você precisa de um ofício ou profissão

Ter um ofício ou uma profissão abre caminho a você para pessoas que estão em diferentes esferas da sociedade. No passado, muitos missionários bem-sucedidos — cujas biografias nos inspiram hoje — desenvolveram suas habilidades acadêmicas, linguísticas e vocacionais. Lembre-se que as pessoas identificaram Cristo por seu ofício, como o carpinteiro filho de José (Mc 6:3).

Ter um diploma universitário é valioso no campo missionário: Deus abriu portas para mim por meio de minhas profissões como engenheira e professora, oportunidades que de outra forma teriam sido mais difíceis de acessar.

Você precisa amadurecer

O missionário com caráter maduro estará disposto a mostrar perseverança, paciência, amor, compaixão e perdão a cada dia. Essas virtudes são essenciais no ministério missionário, pois a solidão, a dureza e a indiferença ao evangelho fazem parte de seus desafios.

As necessidades e limitações econômicas no campo desafiam nossa criatividade administrativa em todas as áreas da vida. Quem quer ser missionário, mas cresceu sem ajudar nas tarefas domésticas, precisa aprender a limpar, cozinhar, lavar roupa, lavar louça, ir ao mercado, carregar coisas pesadas, limpar geladeira ou qualquer outra atividade que contribua para a convivência saudável com a equipe.

No campo missionário, você precisará fazer tudo isso regularmente e precisa saber que ninguém vem ao campo missionário pensando em ser babá de outros missionários. Quando um missionário não está disposto a colaborar nas tarefas diárias, torna-se um fardo e um ponto de conflito.

Recomendações finais

Cuide de você mesmo foi uma das repetidas instruções de Paulo ao jovem pastor Timóteo (1Tm 4:6). O serviço missionário tem implicações específicas para as quais precisamos estar preparados. Muitos missionários no campo acabam desviados ou feridos; outros se convertem a religiões como o islã, o budismo ou o hinduísmo.

Nossa identidade em Cristo garante que Deus quer nos usar (1 Pe 2:9). Ele nos chama para servi-lo em diferentes áreas e é por isso que ele nos dotou com o Espírito Santo e seus dons. Como vimos, todos nós precisamos de treinamento prévio e passar por um processo que refina nosso caráter. Se você tem dúvidas sobre seu chamado para missões, busque a Deus em oração, peça o conselho de seus líderes e certifique-se de servir a Deus onde você está agora. Confie em sua graça e descanse nEle enquanto espera o momento de ser enviado.

Jeanine Martinez é uma missionária na Guatemala e serve na Iglesia Reforma. É enviada pela Igreja Batista Internacional, República Dominicana. Tem um Mestrado em Artes e Estudos Teológicos e Liderança Intercultural pelo Seminário Batista do Sul (SBTS), e um Mestrado em Ciências em Engenharia Sanitária e Ambiental (INTEC). Serviu como missionária transcultural, com foco no ensino bíblico, treinamento missionário e discipulado, no sul e leste da Ásia por quase 9 anos.

Fonte: Coalizão pelo Evangelho

 

Comments are closed.