Minha Declaração de Desobediência Fiel

Nota do editor: mais de 100 membros da Igreja Early Rain Covenant em Chengdu, China, foram presos no domingo, 9 de dezembro. No momento da publicação desta tradução, ainda estavam ocorrendo prisões. Entre os que foram levados, estão o pastor Wang Yi, pastor sênior da Early Rain, e sua esposa, Jiang Rong, dos quais não se tem notícia desde domingo.

Prevendo essa situação, o pastor Wang Yi escreveu a declaração reproduzida a seguir para que a igreja a publicasse no caso de o deterem por mais de 48 horas. Nela, ele explica o significado e a necessidade da desobediência fiel, como ela se diferencia do ativismo político ou da desobediência civil e como os cristãos devem praticá-la. Agradecemos a Brent Pinkall e a Amy Cheung por suas contribuições na tradução desta carta.

Com base nos ensinamentos da Bíblia e na missão do evangelho, eu respeito as autoridades que Deus estabeleceu na China. Porque Deus destitui reis e levanta reis. Por essa razão me submeto aos planos históricos e institucionais de Deus na China.

Como pastor de uma igreja cristã, tenho minha própria compreensão e pontos de vista, baseados na Bíblia, sobre o que é a ordem justa e o bom governo. Ao mesmo tempo, estou insatisfeito e irado com a perseguição da igreja por esse regime comunista, pela maldade em privar as pessoas das liberdades de religião e de consciência. Mas mudar instituições sociais e políticas não é a missão para a qual fui chamado, e não é o objetivo pelo qual Deus deu o evangelho a seu povo.

Todas as realidades terríveis, as políticas injustas e as leis arbitrárias manifestam a cruz de Jesus Cristo, o único meio pelo qual cada chinês deve ser salvo. Também manifestam o fato de que a verdadeira esperança e uma sociedade perfeita nunca serão encontradas na transformação de qualquer instituição ou cultura terrena, mas que nossos pecados serão perdoados gratuitamente por Cristo e na esperança da vida eterna.

Como pastor, minha firme crença no Evangelho, meu ensino e minha repreensão a todo o mal procedem do mandato de Cristo no evangelho e do imensurável amor desse glorioso Rei. A vida de cada homem é extremamente curta, e Deus ordena fervorosamente que a igreja conduza e chame ao arrependimento qualquer homem que esteja disposto a se arrepender. Cristo está ansioso e disposto a perdoar todos aqueles que se afastam de seus pecados. Este é o objetivo de todos os esforços da igreja na China: testemunhar ao mundo sobre o nosso Cristo, testemunhar a meio mundo sobre o Reino dos Céus, testemunhar às vidas terrenas e momentâneas sobre a vida celestial e eterna. Esta é também a vocação pastoral que recebi.

Por essa razão, aceito e respeito o fato de que Deus permitiu que esse regime comunista governasse temporariamente. Como disse o servo do Senhor, João Calvino, os maus governantes são o juízo de Deus sobre um povo mau, cujo objetivo é exortar o povo de Deus a se arrepender e se voltar novamente para Ele. Por esta razão, estou alegremente disposto a submeter-se ao cumprimento da lei, como se estivesse sujeito à disciplina do Senhor e a ser treinado por Ele.

Ao mesmo tempo, creio que a perseguição deste regime comunista contra a igreja é uma ação muito perversa e ilegal. Como pastor de uma igreja cristã, devo denunciar este mal abertamente e com severidade. O chamado que recebi requer que eu use métodos não violentos para desobedecer às leis humanas que contrariam a Bíblia e Deus. Meu Salvador Cristo também requer que eu suporte com satisfação todos os custos por desobedecer às leis do mal.

Mas isso não significa que a minha desobediência pessoal e a desobediência da igreja são, em algum sentido, “lutar pelos direitos” ou o ativismo político na forma de desobediência civil, porque eu não tenho a intenção de mudar nenhuma instituição ou lei da China. Como pastor, a única coisa que me importa é a interrupção da natureza pecaminosa do homem por esta desobediência fiel e pelo testemunho de que esta leva pela cruz de Cristo.

Como pastor, minha desobediência é uma parte do mandato do evangelho. A grande comissão de Cristo requer de nós uma grande desobediência. O objetivo da desobediência não é mudar o mundo e sim testemunhar sobre outro mundo.

Porque a missão da igreja é apenas ser igreja e não se tornar parte de qualquer instituição secular. A partir de uma perspectiva negativa, a igreja deve separar-se do mundo e evitar ser institucionalizada pelo mundo. A partir de uma perspectiva positiva, todos os atos da igreja são tentativas de demonstrar ao mundo a existência real de outro mundo. A Bíblia nos ensina que, em todos os assuntos relacionados ao evangelho e à consciência humana, devemos obedecer a Deus e não aos homens. Por essa razão, a desobediência espiritual e o sofrimento corporal são duas maneiras pelas quais testificamos outro mundo eterno e outro Rei glorioso.

Por essa razão, não me interessa mudar nenhuma instituição política ou jurídica na China. Nem sequer me interessa a questão de quando vão ser mudadas as políticas do regime comunista que persegue a igreja. Independentemente do regime em que se vive, agora ou no futuro, enquanto o governo secular continua perseguindo a igreja, violando as consciências humanas que só pertencem a Deus, vou continuar com minha desobediência fiel. Porque toda a comissão que Deus me deu é fazer mais chineses saberem, por meio de minhas ações, que a esperança da humanidade e da sociedade estão apenas na redenção de Cristo, na soberania sobrenatural e misericordiosa de Deus.

Se Deus decide usar a perseguição deste regime comunista contra a igreja para ajudar mais chineses a se desesperarem quanto a seu futuro, para guiá-los ao longo de um deserto de desilusão espiritual e, por meio disto, fazê-los conhecerem Jesus; se através disto continua disciplinando e edificando sua igreja, então estou alegremente disposto a me submeter aos planos de Deus, porque seus planos são sempre benevolentes e bons.

Precisamente porque nenhuma das minhas palavras e ações visam buscar e esperar a transformação social e política, não tenho medo de nenhum poder social ou político. Porque a Bíblia nos ensina que Deus estabelece autoridades governamentais para aterrorizar aqueles que fazem o mal, não para aterrorizar aqueles que fazem o bem. Se os crentes em Jesus não fazem algo errado, então eles não devem temer os poderes das trevas. Ainda que, com frequência, eu seja fraco, creio firmemente que esta é a promessa do evangelho. É para o que tenho dedicado toda minha energia. São as boas notícias que estou espalhando por toda a sociedade chinesa.

Também entendo que esta é a razão pela qual o regime comunista está cheio de temor por uma igreja que não o teme.

Se estou encarcerado por um período longo ou curto, se eu posso ajudar a reduzir o medo das autoridades para com a minha fé e meu Salvador, estou disposto a ajudá-los desta forma. Mas eu sei que somente quando eu renunciar a toda maldade desta perseguição contra a igreja e usar meios pacíficos para desobedecer, serei verdadeiramente capaz de ajudar as almas das autoridades e as forças da ordem. Espero que Deus me use, por meio de primeiro perder minha liberdade pessoal, para dizer àqueles que me privaram de minha liberdade pessoal que há uma autoridade maior do que a sua autoridade e que há uma liberdade que não podem restringir, uma liberdade que inunda a igreja de Jesus Cristo crucificado e ressuscitado.

Independentemente do delito do qual o governo me acusa, qualquer que seja a imundície que joguem contra mim, sempre que essa acusação estiver relacionada à minha fé, meus escritos, meus comentários e meus ensinamentos, será simplesmente uma mentira e uma tentação demoníaca. Eu nego categoricamente. Cumprirei minha sentença, mas não servirei à lei. Serei executado, mas não me declararei culpado.

Além disso, devo salientar que a perseguição contra a Igreja do Senhor e contra todos os chineses que creem em Jesus Cristo é o mal mais perverso e mais horrível da sociedade chinesa. Isto não é apenas um pecado contra os cristãos. É também um pecado contra todos os não-cristãos. Porque o governo os está ameaçando brutal e impiedosamente e impedindo que se aproximem de Jesus. Não há mal maior no mundo do que este.

Se este regime for derrubado por Deus um dia, não será por outra razão que não seja o justo castigo e a vingança de Deus por este mal. Porque na terra somente tem havido uma igreja de mil anos. Nunca houve um governo de mil anos. Existe apenas a fé eterna. Não há poder eterno.

Aqueles que me trancarem algum dia serão presos por anjos. Aqueles que me interrogam serão finalmente interrogados e julgados por Cristo. Quando penso nisso, o Senhor me enche de natural compaixão e dor para com aqueles que estão ativamente tentando me aprisionar. Orem para que o Senhor me use, para que me conceda paciência e sabedoria, para que eu possa levar o Evangelho a eles.

Separam-me de minha esposa e filhos, arruínam minha reputação, destroem minha vida e minha família: as autoridades são capazes de fazer todas essas coisas. No entanto, ninguém neste mundo pode forçar-me a renunciar à minha fé. Ninguém pode fazer-me mudar minha vida; e ninguém pode levantar-me dentre os mortos.

E assim, respeitáveis oficiais, parem de cometer o mal. Isso não é para o meu benefício, mas para o seu e dos seus filhos. Eu imploro encarecidamente a vocês que mantenham suas mãos afastadas. Por que vocês deveriam estar dispostos a pagar o preço da condenação eterna no inferno por um pecador humilde como eu?

Jesus é o Cristo, filho do eterno, Deus vivo. Ele morreu pelos pecadores e ressuscitou por nós. Ele é meu rei e o rei de toda a terra ontem, hoje e para sempre. Sou seu servo e estou preso por isso. Resistirei com mansidão àqueles que resistem a Deus e, com alegria, violarei todas as leis que violam as leis de Deus.

Apêndice: O que constitui desobediência fiel?

Creio firmemente que a Bíblia não deu a nenhuma ramificação de qualquer governo a autoridade para governar a igreja ou para interferir na fé dos cristãos. Portanto, a Bíblia exige que, através de meios pacíficos, na resistência humilde e na tolerância ativa, cheios de alegria, resistamos a todas as políticas administrativas e medidas legais que oprimem a igreja e interferem na fé dos cristãos. 

Creio firmemente que este é um ato espiritual de desobediência. Nos regimes autoritários modernos, que perseguem a igreja e se opõem ao evangelho, a desobediência espiritual é uma parte inevitável do mover do evangelho.

Creio firmemente que a desobediência espiritual é um ato dos últimos tempos; é um testemunho do reino eterno de Deus no reino temporal do pecado e do mal. Os cristãos desobedientes seguem o exemplo do Cristo crucificado, andando pelo caminho da cruz. A desobediência pacífica é a maneira como amamos o mundo e a maneira como evitamos fazer parte do mundo.

Creio firmemente que, ao realizar a desobediência espiritual, a Bíblia exige que eu confie na graça e no poder da ressurreição de Cristo, e que devo respeitar e não ultrapassar dois limites.

O primeiro limite é o do coração. O amor para com a alma, e não o ódio para com o corpo, é a motivação da desobediência espiritual. A transformação da alma, e não a mudança das circunstâncias, é o objetivo da desobediência espiritual. Em qualquer momento em que a opressão e a violência externa me roubam a paz e a resistência interna, e fazem meu coração começar a gerar ódio e amargura para com aqueles que perseguem a igreja e abusam de cristãos, a desobediência espiritual fracassa nesse ponto.

O segundo limite é o do comportamento. O evangelho exige que a desobediência da fé não seja violenta. O mistério do evangelho está no sofrimento ativo e inclui estar disposto a suportar um castigo injusto, como substitutivo da resistência física. A desobediência pacífica é o resultado do amor e do perdão. A cruz significa estar disposto a sofrer quando alguém não tem que sofrer. Porque Cristo tinha uma capacidade ilimitada para se defender, mas suportou toda a humilhação e a dor. A maneira como Cristo resistiu ao mundo que resistiu a ele, foi estendendo um ramo de oliveira de paz na cruz, ao mundo que o crucificou.

Creio firmemente que Cristo me chamou para realizar esta desobediência fiel por meio de uma vida de serviço, sob este regime que se opõe ao evangelho e persegue a igreja. Este é o meio pelo qual prego o evangelho, e é o mistério do evangelho que prego.

O servo do Senhor,

Wang Yi

Primeiro esboço em 21 de setembro de 2018; revisado em 4 de outubro. Será circulado pela igreja depois de 48 horas de detenção.

Fonte: China Partnership

The following two tabs change content below.

Martha Claros

Diretora da Área de Comunicação - COMIBAM Internacional

Latest posts by Martha Claros (see all)

Leave a Reply