Deixar nossos filhos irem

viajando

Por Frank Severn

Por que é tão difícil para os pais cristãos deixarem livremente que seus filhos mais velhos se tornem missionários? Essa pergunta muitas vezes me desconcertou enquanto interagia com estudantes cristãos comprometidos e adultos jovens. Alguns que acreditavam que Deus os estava chamando para servir a Cristo entre os povos menos evangelizados do mundo nunca seguiram adiante devido à oposição de seus pais.

Uma prova de fé

Primeiro, admito que não é fácil enviar com alegria seus filhos para um país distante, ou mesmo para uma cidade próxima que pode não ser percebida como segura e saudável. Quando minha filha e seu esposo responderam à direção de Deus para suas vidas e foram para a Ucrânia nos anos 90, eu me regozijei, mas também tive sentimentos muito confusos. Isto foi especialmente verdadeiro quando de repente me dei conta que nossa primeira neta estaria com eles! Tínhamos dedicado cada um de nossos filhos para o Senhor ao nascer e orado para que eles O seguissem com alegria até os confins da terra; no entanto, não era fácil vê-los partir. Isso é natural. Amamos nossos filhos e netos. Queremos protegê-los de enfermidades e perigos.

Para mim, foi uma prova de fé. Eu realmente cria que seguir a vontade de Deus é sempre o melhor? Eu realmente cria que a promessa de Cristo é verdadeira: “Buscai, pois, em primeiro lugar, o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas (alimento, proteção, provisões diárias etc.) vos serão acrescentadas”? Eu realmente cria nas palavras de Jesus quando Ele deu a Grande Comissão: “E eis que estou convosco todos os dias até à consumação do século” (Mateus 28:20)?

Um lugar seguro

Em segundo lugar, acho que fomos enganados a pensar que nossa casa, ou pelo menos nosso próprio país, é o lugar mais seguro para se estar. Isso significa que meu filho ou filha estará seguro e melhor se não for? Acidentes acontecem em todos os lugares. Doenças também acontecem aqui.

Uma vida melhor

Lembro-me com tristeza a história de uma maravilhosa jovem das Filipinas, que eu e minha esposa conhecemos bem. Havia dedicado sua vida ao Senhor e acreditava que deveria ir à escola bíblica para se preparar para servir a Deus. Seu pai era um dos principais líderes da igreja que estávamos ajudando a estabelecer. No entanto, ele tinha outros planos para a filha. Queria que ela se tornasse enfermeira e que fosse para os Estados Unidos, onde ganharia um bom salário, o que ajudaria sua família. Este foi e é um plano muito normal para uma família filipina. Ele disse: “Não, você não pode ir à escola bíblica”. A jovem ficou desconsolada e se encontrou em uma situação insustentável. Sendo uma boa filipina, obedeceu a seus pais. Lamentavelmente, acabou casando-se com um descrente e levou uma vida miserável.

Um chamado mais alto

Fomos levados a acreditar no sonho americano. Queremos nossos filhos indo bem na vida. Gostaríamos que conseguissem um bom emprego, formassem uma família e estivessem perto o suficiente para que pudéssemos desfrutar de nossos netos. Sim, não há problema se servem a Deus aqui. Afinal de contas, há muitas necessidades em casa. Eu não negaria que os Estados Unidos têm grandes necessidades espirituais. Tampouco diria que servir a Cristo aqui é secundário apenas em relação ao trabalho missionário. A pergunta deve ser sempre: qual é a vontade de Deus para nossos filhos? Ela é sempre boa e perfeita (Romanos 12:1-2).

O mandamento claro de Cristo para todos nós é “Rogai, pois, ao Senhor da seara que mande trabalhadores para a sua seara” (Mateus 9:38). Eu fiz esta oração por mim mesmo e por meus filhos e netos. Afinal de contas, não posso pensar em nenhuma contribuição maior que possam fazer por Cristo e Seu Reino do que apresentar Jesus a pessoas não alcançadas.

Quando terminarmos a vida, o que permanecerá? Dinheiro? Não. Coisas e bens? Não. O que dura para a eternidade são as pessoas que estão com Cristo no céu ou eternamente separadas dEle. Não pode haver um chamado mais elevado do que o de levar as Boas Novas, que são o poder de Deus para a salvação! (Romanos 1:16).

Uma maravilhosa promessa

Também há uma maravilhosa promessa de Jesus:

“Então, Pedro começou a dizer-lhe: Eis que nós tudo deixamos e te seguimos. Tornou Jesus: Em verdade vos digo que ninguém há que tenha deixado casa, ou irmãos, ou irmãs, ou mãe, ou pai, ou filhos, ou campos por amor de mim e por amor do evangelho, que não receba, já no presente, o cêntuplo de casas, irmãos, irmãs, mães, filhos e campos, com perseguições; e, no mundo por vir, a vida eterna” (Marcos 10: 28-30).

Frank Severn trabalhou com a SEND International durante quase 50 anos. Ele e sua esposa, Jane, serviram nas Filipinas na plantação e administração de igrejas até 1980, quando Frank assumiu a função de Diretor Geral da SEND, em lugar do primeiro Diretor, Phil Armstrong. Durante 24 anos, Frank dirigiu habilmente a organização, abrindo novos campos e agregando mais missionários. 

Fonte: Send International

 

The following two tabs change content below.

Martha Claros

Diretora da Área de Comunicação da COMIBAM

Comments are closed.