Artista está dando voz às mulheres afegãs, apesar do perigo

mujer-afgana

Shamsia Hassani nasceu em 1988 em Teerã, Irã, mas tem nacionalidade afegã. Regressou ao Afeganistão quando tinha 16 anos. Estudou pintura na universidade e recebeu sua licenciatura em Artes em 2010 e seu mestrado em Artes Visuais em 2014, da Universidade de Cabul. Agora é professora na faculdade de Belas Artes da Universidade de Cabul, Afeganistão.

ShamsiaShamsia é uma das primeiras artistas de rua do Afeganistão (numa sociedade dominada pelos homens). Faz murais e pinturas vibrantes, retratando as mulheres como figuras fortes e independentes. Com linhas arrojadas e ângulos agudos, lábios fechados ou sem bocas visíveis, suas mulheres frequentemente carregam e/ou tocam instrumentos musicais, que proporcionam a elas uma voz, um veículo de autoexpressão.

Usando como telas as paredes de edifícios abandonados ou danificados por bombas, Hassani pinta murais que, muitas vezes, retratam mulheres com vestimentas tradicionais, posando alegremente com instrumentos musicais. Parte de sua missão, diz, é embelezar a cidade com cores em meio à escuridão da guerra.

Shamsia pretende elucidar percepções errôneas sobre as mulheres muçulmanas, ilustrando que remover o lenço da cabeça não é o mesmo que libertar as mulheres. Está tentando ressaltar que escolher usar a burca ou o hijab não é o problema; as mulheres não serão verdadeiramente livres até que possam falar por si mesmas e ser ouvidas. Sua arte dá às mulheres afegãs um rosto diferente, um rosto com poder, ambições e vontade de alcançar objetivos.

Embora o grafite seja legal no Afeganistão, ele não é necessariamente seguro. Como artista feminina, ela é frequentemente assediada. Entre fundamentalistas que não apoiam a ideia de mulheres nas artes e a prevalência de carros-bomba na área, Shamsia está literalmente arriscando a vida e a integridade física cada vez que pinta ao ar livre. Realiza a maior parte de seu trabalho em tecidos dentro de seu apartamento.

mujer-afgana2Suas obras de arte inspiraram milhares de mulheres em todo o mundo e deram nova esperança às mulheres artistas afegãs no país. Motivou centenas de afegãos a contribuir com sua criatividade através de seu festival de grafite, aulas de arte e exposições em diferentes países ao redor do mundo.

Ela é cofundadora da Berang Art Organization, um grupo dirigido por artistas, que promove arte e cultura contemporânea no Afeganistão por meio de programas, workshops, seminários e exposições. Seu trabalho tem sido mostrado no Afeganistão, Austrália, Dinamarca, Alemanha, Irã, Índia, Noruega, Suíça e Vietnã, onde também participou de conferências e workshops.

“A arte muda a mente das pessoas e as pessoas mudam o mundo”.  Shamsia Hassani

Nota do editor. Certamente com a dramática mudança de governo no Afeganistão, é muito provável que Shamsia Hassani tenha que interromper seu trabalho, incluindo as aulas que ministrava na universidade. Convidamos você a orar pelos afegãos, em especial pelas mulheres, mães, jovens e crianças.

Fonte:

https://hammer.ucla.edu/

https://www.latimes.com/

https://www.shamsiahassani.net/

 

The following two tabs change content below.

Martha Claros

Diretora da Área de Comunicação da COMIBAM

Comments are closed.