A Bíblia é a verdade: leia!

Por Gabriel Andavazo

Ninguém, depois de acender uma candeia, a põe em lugar escondido, nem debaixo do alqueire, mas no velador, a fim de que os que entram vejam a luz (Lucas 11:33)

A grandeza medida em distâncias, tamanhos ou volume não é absoluta. Objetos que podem ser qualificados como os maiores do mundo podem ser insignificantes em valor e propósito. Outros merecem o adjetivo de grandes, ainda que seu tamanho passe desapercebido aos olhos humanos.

O livro de registros mundiais, chamado Guinness World Records, contém em suas páginas todo tipo de exagero, que pode ir de objetos a organismos, do menor ao maior. O Guinness World Records recebe uns 65.000 pedidos a cada ano e, por isso, é impossível aceitar todos os que chegam. Em 2011 possuía a cifra de 4.107 registros.

Nas montanhas de Ciudad Juárez, no México, existe um letreiro de dimensões espantosas, que pode ser visto de qualquer ponto, seja aéreo ou terrestre. Sua grandeza não está somente no tamanho das letras (que ocupam uma área média de 30.000 metros quadrados), como também no seu significado. Apresenta uma grande verdade e pode ser observado em páginas de internet, jornais, mapas, do alto de um avião que chega à cidade ou sai dela e até em cartões postais vendidos nos comércios.

A frase se transformou em uma das marcas da cidade. Suas montanhas, que originalmente se chamam Cerro Bola, agora são identificadas pelos habitantes da região como “Monte da Bíblia”. O letreiro dá testemunho ao esforço que um grupo de cristãos faz nos últimos 31 anos, de escalar a montanha para manter viva a recomendação de ler a Bíblia. É difícil imaginar a cidade sem a colossal mensagem.

Em 1987 se realizou na cidade uma campanha evangelística, que se denominou “Fiesta Juárez 87”. A intenção era tripla: a) deixar uma memória do evento, b) dar uma prova da unidade do corpo de Cristo, deixando de lado as diferenças denominacionais e, c) fazer notar, de maneira significativa, a importância da leitura bíblica.

Se pensou em possibilidades como a criação de um orfanato ou de um programa de beneficência pública, administrado pela igreja, mas a arrecadação de fundos representava um conflito de interesses.

O Pastor Gerardo Bermúdez propôs pintar um letreiro que servisse de testemunho. A junta de ministros aprovou o plano, deixando-o como responsável pela tarefa. Depois de quatro meses de árduo trabalho para fazer o contorno, foram chamados os evangélicos da cidade que quisessem ajudar a preencher os espaços com tinta branca. Em poucos dias apareceu à vista de todos a mensagem. Foi uma grande surpresa porque ninguém sabia o que se estava desenhando naquele morro.

Ainda que não seja possível falar pessoalmente com cada habitante sobre esta verdade, já não importava porque agora inevitavelmente a poderiam ler.

Como era de se esperar, as reações apareceram de imediato. Para alguns não há mensagem mais nobre que esta, para outros é um perigo estimular a leitura de um livro tão complicado sem a devida instrução, para outros simplesmente é contaminação visual, que ofende sua convicção. Qualquer que seja a posição do leitor, a mensagem não perde valor e grandeza. Alguém disse: “a Bíblia é como um leão, solte-a e ela se defenderá sozinha”.

Subir a montanha a cada dois anos para repintar as letras é uma satisfação que se sente em cada gota derramada sobre a pedra, dos mais de 4.000 litros de cal vertidos que dão vida à voz aberta. As mãos unidas de centenas de cristãos não seriam suficientes para estender uma Bíblia a mais de dois milhões de pessoas, mesmo quando acharam que seria impossível. Involuntariamente, se damos testemunho público da grandeza do livro sagrado que, sem vacilar, podemos dizer, é maior que as próprias montanhas.

Para aqueles que consideram o perigo de ler “o livro negro” sem a devida instrução, talvez devam recordar-se que foi a leitura dele mesmo que operou a reforma da igreja do século XV, trazendo convicção da verdade.

A leitura em si é um benefício cultural e quando se trata da devoção, esta se une ao benefício espiritual. Ler a Bíblia a partir de qualquer perspectiva sempre terá um benefício porque toda a escritura é útil para ensinar e mesmo que não se alcance a perfeição, de todo modo seremos afetados de forma positiva.

Somente nossa cidade é possuidora de uma mensagem de semelhantes dimensões físicas e espirituais. Este é o melhor anúncio publicitário que jamais se leu; não é prejudicial à saúde, tampouco para a economia e muito menos à inteligência. O que se promove não provém de uma multinacional ou de cadeia mundial de lojas. Não é para enriquecer alguns e empobrecer outros. Não é uma competição entre livros e nem se corre o risco de passar de moda; não anuncia uma tragédia e nem a cara de um personagem famoso.

É sim o livro da esperança em meio à tribulação, da resposta em meio à dúvida, da proteção diante do perigo, da segurança diante da eternidade e, acima de tudo, da liberdade. E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará (João 8:32).

Não há dúvida, a leitura da Bíblia traz todo tipo de benefícios à vida dos homens. Sua grandeza descansa em seu autor, Deus, que quis deixar-nos o registro das coisas que não podem ser superadas. É o Guinness Record de Deus.

Assim como a cidade ficou marcada pela frase, também o será todo aquele que for influenciado pelo maior livro do mundo, a Bíblia.

Fonte: Evangélico Digital

The following two tabs change content below.

Martha Claros

Diretora da Área de Comunicação da COMIBAM

Comments are closed.