17 missionários sequestrados no Haiti

secuestro

Por Leo Meyer

Recentemente, um grupo de missionários cristãos foi sequestrado por uma gangue em Porto Príncipe, a capital do Haiti. A notícia indica que pelo menos 17 pessoas foram levadas cativas no sábado passado, quando o veículo no qual estavam sendo transportadas foi apreendido após terem visitado um orfanato.

Das 17 pessoas (16 americanos e um canadense), são cinco homens, sete mulheres e cinco crianças. O grupo faz parte da organização missionária Christian Aid Ministries, com sede em Ohio (EUA), que emitiu uma declaração confirmando as notícias e pedindo orações pelas autoridades civis haitianas e americanas, que estão trabalhando para solucionar este caso.

O site do ministério indica que o grupo missionário se comprometeu em trabalhar com pessoas do Haiti com o propósito de compartilhar o amor de Jesus em toda a nação. Afirma que “antes do sequestro, seu trabalho em todo o Haiti incluía o apoio a milhares de estudantes carentes, distribuição de Bíblias e literatura cristã, fornecimento de medicamentos para inúmeras clínicas, ensino a pastores haitianos e fornecimento de alimentos para os idosos e vulneráveis”.

Além disso, o grupo vinha trabalhando ativamente para desenvolver um projeto de reconstrução “para aqueles que perderam suas casas no terremoto de agosto de 2021”.

A violenta gangue denominada “400 Mawozo” (que significa “400 homens sem experiência”), responsável por este sequestro, é muito conhecida por realizar sequestros em massa em uma área de Croix de Buquet, um bairro de Porto Príncipe. O grupo exige um resgate de 17 milhões de dólares. O grupo criminoso é um dos muitos que aterrorizam diariamente a capital do país. A quadrilha realiza assaltos e outros atos criminosos e reivindica a autoria de sequestros múltiplos de haitianos e estrangeiros, com o objetivo de extorquir para conseguir dinheiro.

Os missionários não são os únicos cristãos ou trabalhadores religiosos sequestrados. Muitos outros foram afetados ao longo da crise pela qual passa o país. Christianity Today relata que “em abril, um homem que dizia ser o líder da gangue dos 400 Mawozo disse a uma estação de rádio que eles foram responsáveis pelo sequestro de cinco sacerdotes, duas freiras e três parentes de um dos sacerdotes naquele mês… posteriormente foram postos em liberdade”.

Caos no Haiti

O Haiti tem atravessado distintos eventos catastróficos recentemente. No último mês de julho, em um ato sem precedentes, foi assassinado em sua própria casa o presidente da nação, Jovenel Moïse. Depois disso, em agosto, a nação experimentou um terremoto de magnitude 7.2 que deixou mais de 2.000 pessoas mortas.

A partir daí se relata que gangues rivais tentaram ganhar o controle de territórios, em uma escalada de violência que, somada à frágil segurança estatal, aumentou a instabilidade e insegurança na vida de muitos habitantes do país.

O que podemos fazer?

Em primeiro lugar, devemos interceder diante do trono da graça para que nosso Deus traga alívio aos habitantes desta nação. Peçamos que traga um avivamento espiritual por meio do poder do evangelho de Cristo. Oremos também para que o país possa voltar à ordem e à governabilidade necessárias para poder solucionar seus graves problemas.

Somado a isso, urge orar para que Deus fortaleça e tire os missionários sequestrados desta situação desesperadora e dê a eles ousadia para compartilhar o evangelho com os criminosos. Oremos também para que – como pede a organização missionária em sua página na internet – o Senhor traga salvação às almas destes sequestradores. Nosso Deus nos diz, por meio de Paulo quando escreve a Timóteo, que oremos “em favor dos reis e de todos os que se acham investidos de autoridade, para que vivamos vida tranquila e mansa, com toda piedade e respeito. Isto é bom e aceitável diante de Deus, nosso Salvador, o qual deseja que todos os homens sejam salvos e cheguem ao pleno conhecimento da verdade”. (1 Tm 2:2-4).

Em meio ao caos da nação mais pobre do hemisfério ocidental, nós, cristãos, cremos que a graça de Deus por meio do evangelho promete regeneração e salvação aos pecadores que põem sua fé em Cristo. Oremos que o reino dos céus venha sobre o Haiti.

Leo Meyer é Diretor de Auditoria de uma empresa comercial em seu país. Serve na Igreja Batista Internacional na República Dominicana e estudou no Instituto Integridade e Sabedoria. É casado com Masi e tem dois filhos: Mia e Zac.

Fonte: Coalizão pelo Evangelho

 

The following two tabs change content below.

Comments are closed.