Catálogo de Etnias não Alcançadas para a Igreja Ibero-americana

etnias

1. Em que consiste o catálogo de Etnias não Alcançadas para a Igreja Ibero-americana?

R. O catálogo é um livro prático, que contém informação sobre as etnias não alcançadas. Cada país pode ter um catálogo que contém uma lista diferente de etnias não alcançadas. A lista será diferente para cada país e inclui as etnias não alcançadas do país. Por exemplo, o catálogo do México contém as etnias não alcançadas do México e também de outros países do mundo. O propósito é que o movimento missionário daquele país mantenha o foco em etnias diferentes das de outros países. Tudo está respaldado por uma página web, onde se encontra um perfil da etnia com mais informações: fotografias, população, religião, estilo de vida e um mapa.

2. Qual é o objetivo de elaborar um catálogo para cada país da Ibero América?

R. Desde o princípio estive orando sobre como envolver a igreja e a comunidade missionária de cada país. Ao ter o catálogo em mãos, todos estarão envolvidos e terão acesso a uma lista atual de etnias não alcançadas. Esperamos que, se alguém entende que deve ir como missionário para a Índia, por exemplo, possa receber informação que lhe indique que ali já existem igrejas estabelecidas, Bíblias em vários idiomas principais, e pastores. Com o catálogo, o candidato verá um país e também uma lista de etnias não alcançadas, sem acesso ao evangelho e sem missionários.

Os catálogos servirão como uma forma de evitar a duplicação de esforços.

3. Que critérios foram levados em conta para a distribuição das etnias?

R. Tomou-se como base a ordem alfabética. Por exemplo, para o catálogo do México, que fizemos primeiro, tomamos oito etnias do Afeganistão em ordem alfabética. O segundo que fizemos foi o do Paraguai e seguimos a ordem alfabética das etnias do Afeganistão. É desta forma que os estamos elaborando. Também estamos trabalhando com líderes de missões em diferentes países, dizendo que eles mesmos podem escolher as etnias que queiram incluir em seus catálogos. Por exemplo, o Paraguai me enviou a lista de etnias que eles querem incluir e nós trabalhamos em função dessa lista.

Outro aspecto que consideramos para a distribuição das etnias é o tamanho do país. Para isso, os separamos em três níveis: um país pequeno recebe 50 etnias em seu catálogo. Um país médio recebe 100, e um país mais ou menos grande 200 etnias. Para outros países que têm um esforço missionário significativo, atribuímos 300 etnias. Os líderes do país também podem dizer-nos quantas etnias querem no catálogo. Por exemplo, inicialmente a Venezuela recebeu 50 etnias, mas nos disseram que queriam 100 etnias.

4. Explique-nos a Guia do catálogo e sua classificação por cores.

R. Na página da Etnopedia há quatro cores, que significam o seguinte:

Não estamos incorporando aos catálogos as etnias que estão em amarelo ou verde porque, obviamente, já há missionários trabalhando ou igrejas estabelecidas.

Temos incluído a cor preta porque, por muitos anos, os movimentos das etnias não alcançadas têm dito: “a etnia não está alcançada”, ou seja, há menos de 2% de evangélicos, “mas não se tem visto algo que nos indique onde está a prioridade”. Não estamos dizendo que uma etnia com menos de 2% de evangélicos não é prioridade e sim que há uma prioridade mais alta e é onde não há absolutamente nada. Uma etnia totalmente não alcançada é uma etnia com 0% de evangélicos. Estamos atribuindo apenas duas classificações: etnias totalmente não alcançadas (0% evangélicos – preto) e etnias não alcançadas (menos de 2% de evangélicos – vermelho).

Utilizamos informações de quatro investigações de etnias:

  1. World Christian Database (Base Mundial de Dados do Cristianismo)
  2. Joshua Project (Projeto Josué)
  3. International Missions Board (Junta Internacional de Missões da Convenção Batista Nacional)
  4. Harvest Information System (Sistema de Informação Colheita)

Estas quatro bases de dados têm informação sobre as etnias do mundo e têm escalas de alcance. Tomamos a informação mais atual e estamos identificando (com base nessas listas) as etnias que não têm absolutamente nada, estão em zero, que são as etnias totalmente não alcançadas (0% evangélicos – preto).

Segundo essa informação, as etnias totalmente não alcançadas são aproximadamente 3.800. Não contam com tradução da Bíblia, missionários, igrejas ou algum cristão evangélico entre eles. A maioria dessas etnias são remotas, estando localizadas longe de cidades modernas, comunicações e acesso à medicina e a rodovias. Também são etnias com menos de 25.000 pessoas. Eu creio que Deus está convidando a comunidade missionária ibero-americana a preparar-se para ir às etnias totalmente não alcançadas e remotas, onde não há acesso ao evangelho.

5. Os catálogos estão em processo de elaboração. Quando estarão prontos para serem entregues a líderes de cada país?

R. No momento já estão concluídos os catálogos do México, Paraguai e Porto Rico.

Espero ter catálogos para cada país na data do IV Congresso Missionário Ibero-americano, no mês de agosto deste ano de 2017, em Bogotá, Colômbia.

6. De que maneira se sugere utilizar o catálogo em cada país?

R. Desejo que os líderes das comunidades missionárias, incluindo pastores, diretores de agências e de centros de capacitação, missionários e todos os envolvidos utilizem o catálogo em seu esforço de mobilização e de planejamento estratégico. Também proponho que cada país coloque um nome para sua iniciativa. Por exemplo, no México o movimento nacional formatou uma iniciativa que se chama Impacto 316, para enviar missionários a 316 etnias não alcançadas.

Poderão encontrar catálogos impressos no IV Congresso Missionário Ibero-americano, que será realizado na Colômbia. Os que não puderem ir ao congresso, encontrarão o arquivo do catálogo de seu país em formato para imprimir. Poderão difundi-lo e distribui-lo livremente, colocando-os em suas páginas web, preparando um PowerPoint ou cartões de oração.

7. Que mensagem pode dar à igreja ibero-americana e à comunidade missionária sobre as etnias não alcançadas?

R. O que quero dizer é: “Usem o catálogo!” e “Orem para que Deus envie!”. Se 3.800 missionários forem enviados a essas etnias totalmente não alcançadas haverá um enorme impacto no mundo sobre alguns dos graves problemas de nossos tempos, tais como o tráfico humano, a matança de crianças para extrair e vender seus órgãos, os conflitos étnicos e tanta maldade que está ocorrendo no mundo. Jesus nos disse em Mateus 24:14: “E será pregado este evangelho do reino em todo o mundo, para testemunho a todas as nações (ethnos); e então virá o fim.” Se anunciamos o evangelho a essas etnias, milhares de milhões de pessoas não irão ao inferno sem conhecer a Cristo e terão uma oportunidade para recebê-lo como seu Salvador e Senhor. Quando Jesus veio, teve dois propósitos: pagar o preço do pecado de cada ser humano e ensinar a doze homens como levar o evangelho até o último da terra.

Se Ele veio para morrer pelos pecados de cada pessoa e as etnias não sabem disso, nosso trabalho é proclamar o Evangelho e fazer discípulos. Agora você poderá utilizar a informação que encontrará no Catálogo de Etnias Não Alcançadas para ir ao campo ou enviar missionários. Isso não significa que os missionários vão deixar de ir aos países e aos grandes blocos religiosos do mundo. Significa apenas que terão a opção de escolher também ir a uma etnia (ethnos) que jamais teve a oportunidade de escutar sobre Jesus.

 

David Markham é Diretor de Alcance Uma Etnia e investigador de etnias para a COMIBAM Internacional. Desenvolve, junto com sua equipe, o trabalho da Etnopedia (www.etnopedia.org), com sua esposa colabora na área de Tradução Bíblica e integra a diretoria da Cooperação Missionária do México – COMIMEX.

 

The following two tabs change content below.

Martha Claros

Diretora da Área de Comunicação - COMIBAM Internacional

Leave a Reply